Prefeitura de SP nega pedidos da EMTU para implantação e mudanças de linhas


A Prefeitura de São Paulo negou no último sábado (01) diversas solicitações da EMTU para implantação de novos atendimentos e mudanças em linhas existentes. Tais medidas beneficiariam moradores da região metropolitana.

Dois desses pedidos atenderiam cidadãos que moram e trabalham em Santana de Parnaiba. Em um deles, a EMTU pede autorização para implantação do atendimento 378BI1, que ligaria o Centro Empresarial Tamboré à estação Paraíso do Metrô, beneficiando aqueles que moram na capital e trabalham no distrito de Alphaville, por exemplo; que poderiam usufruir de mais uma linha do serviço seletivo, com ônibus mais confortáveis.

Outro pedido indeferido na região foi a criação do atendimento 565BI1 – Santana de Parnaiba (Residencial Valville) x São Paulo (Lapa). Nestes dois casos, por se tratarem de serviços complementares, a frota poderia ser compartilhada com as já existentes linhas 378 e 565.

A Prefeitura da capital também indeferiu um pedido para que a linha 308 – Cotia (Atalaia) x São Paulo (Rodoviária Barra Funda) – fosse transformada em linha comum. Atualmente, este é um serviço seletivo. Com a mudança, haveria um aumento na capacidade de transporte de passageiros, uma vez que, com ônibus comuns, passageiros poderiam oficialmente viajar em pé. Neste caso, a Prefeitura alega que a mudança traria concorrência às linhas municipais. Cabe ressaltar que, atualmente, as linhas municipais de São Paulo custam R$4,40, com possibilidade de integração gratuita entre si por meio do bilhete único. Caso a linha 308 se tornasse uma linha comum, sua tarifa passaria da casa dos R$7,00.

Para a região de Taboão da Serra, a Prefeitura negou um pedido de alteração de itinerário na linha 068 – Taboão da Serra (Pq. Laguna) x São Paulo (Lapa). Essa mudança visava beneficiar moradores da região do Jd. Monte Alegre e adjacências, após o cancelamento (também por determinação da Prefeitura de São Paulo) da linha 029. Como ela teria que trafegar em um pequeno trecho de viário municipal paulistano na região (pouco mais de 1.000 metros), a administração municipal da capital indeferiu o pedido. Ela alega que haveria concorrência com uma linha municipal, que liga o Jd. Jaqueline ao Terminal Bandeira (sim, a mesma prefeitura que tanto fala em troncalização defende uma linha que vai do bairro do Jaqueline ao Terminal Bandeira, mesmo com o Terminal Pinheiros e as estações da linha 4 – Amarela no meio do caminho).


Compartilhe esta notícia:
Tagged: , , , ,

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.