ALESP envia duas indicações a governo sobre linhas da Estação Vila Sônia

ALESP envia duas indicações a governo sobre linhas da Estação Vila Sônia

A ALESP (Assembleia Legislativa de São Paulo) enviou ao governo do estado duas indicações sobre linhas que atendem a Estação Via Sônia. As indicações datam desta sexta-feira (24). Elas foram criadas após contato de passageiros com os deputados.

A primeira, de autoria do deputado Douglas Garcia, solicita melhorias no atendimento da linha 124, que parte do Jardim Santo Eduardo, em Embu das Artes. De acordo com o documento, o pedido é para que haja melhorias na operação do serviço. Ele diz que a linha precisa de melhorias sobretudo no horário de pico da manhã, entre as 5h00 e as 8h00. “[Estes] são os horários que mais apresentam transtornos que, por conta da lotação, por vezes, os motoristas sequer param em alguns pontos”, diz. Ele pede ainda que haja uma troca na frota da linha, alegando que fez o pedido com base em reclamações de usuários. Hoje, a linha opera com veículos de cerca de dez anos de idade, em média.

Por outro lado, a deputada Janaína Paschoal pediu que o estado crie integração tarifária entre as linhas que sofreram corte no Metrô Vila Sônia e o sistema metroviário. Em seu pedido, ela conta que vem recebendo muitas queixas de moradores da região Sudoeste da Grande São Paulo que precisam chegar em Pinheiros. Isso porque, com o corte, passageiros das cidades da região precisam gastar mais para acessar os locais que acessavam com uma única passagem antes da abertura da estação. Este gasto, inclusive, pode chegar na casa dos R$1.400 anuais, conforme mostrou o portal Linhas Metropolitanas em Maio (relembre).

Causas apuradas

A deputada cita, inclusive, um dos principais fatores que contribuiu para o corte, que foi o contrato de concessão da Linha 4 – Amarela à empresa “ViaQuatro” liderada pela CCR. A parlamentar cita ainda o fato de que, no ano passado, a empresa e o governo do estado firmaram um termo aditivo para compensação financeira à empresa privada. De acordo com os termos, uma das razões que motivou a compensação foi o atraso no corte das linhas da EMTU.

Na ocasião, ficou fixado um valor que passa dos R$700 milhões. As partes definiram que o repasse seria feito por meio na revisão da tarifa de remuneração, que é o valor que o estado paga à concessionária por passageiros transportado. Segundo matéria publicada pelo portal “Via Trólebus” em junho de 2022, este valor hoje já está em mais de R$6 por passageiro (a tarifa pública, paga pelo passageiro nas catracas, é de R$4,40 atualmente).

“Não é cabível que cidadãos, que até então se utilizavam do percurso para realização dos seus afazeres cotidianos, sejam prejudicados por questões contratuais.”, diz a deputada em seu ofício.

Atualmente, esta integração ocorre por meio do Cartão TOP, que dá um desconto de R$1,50 no valor final da passagem.

Pedido de cidadão

A indicada da deputada Janaina Paschoal veio depois que um morador de Juquitiba esteve na ALESP para tratar do assunto. Conforme mostramos nesta semana, o juquitibano Wagner Melo foi até a casa de leis Paulista com requerimentos a diversos deputados. Ele pediu auxílio aos parlamentares para que o governo crie mais integrações no Terminal Vila Sônia.

Ele conseguiu o aceite de diversos deputados para dar andamento no pedido. “Não é legal tirar as linhas de Pinheiros e obrigar os passageiros a pagar outra passagem para chegar lá”, disse. Relembre:

Morador de Juquitiba vai à ALESP pedir por nova integração na Vila Sônia

Em resposta a questionamentos enviados pelo portal Linhas Metropolitanas, a Secretaria de Transportes Metropolitanos está avaliando o comportamento da demanda após a mudança nas linhas.


Já conhece todos os canais do portal Linhas Metropolitanas? Não? Então, saiba que nossa rede se estende pelo Facebook, Twitter, Instagram e YouTube! Clique/toque aqui e siga-nos nas redes sociais!

Compartilhe esta notícia:
Allef

Allef

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *