Nova penalidade é aplicada a consórcio responsável por projeto de corredor de ônibus

Imagem: Divulgação/EMTU

O Governo de São Paulo, por meio da EMTU, aplicou nova penalidade ao consórcio responsável pela elaboração dos projetos básico, executivo e funcional do Corredor Metropolitano Perimetral Alto-Tietê, um corredor do tipo BRT que, quando completo, ligará as cidades de Arujá, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba e Poá.

A nova multa, no valor de R$13.122,40, segundo a administração estadual, é referente a atrasos nas entregas de produtos, estabelecidas em contrato. Na mesma oportunidade, foi negado um recurso apresentado pelo consórcio ao estado, gerando uma nova punição. O valor é demasiadamente inferior a uma multa anterior aplicada no início deste ano, também por atrasos por parte do Consórcio, que ultrapassava a casa dos R$100 mil.

Licitado inicialmente em 2013, o projeto prevê um corredor do tipo BRT (Bus Rapid Transit) de pouco mais de 20km de extensão com pontos de ultrapassagem nas paradas, a construção de terminais metropolitanos em Arujá e Ferraz de Vasconcelos, bem como a ampliação do Terminal Cidade Kemel, em Poá. Na fase de apresentação do projeto, a EMTU estimou uma redução de 25% no tempo de viagem, beneficiando cerca de 82 mil pessoas por dia.

O projeto está divido em 3 trechos: “Term. Arujá x Jd. Fazenda Rincão” , “Jd. Fazenda Rincão x Monte Belo” e “Monte Belo x Terminal Ferraz. Divulgação/EMTU
Concepção da estrutura de uma das estações de embarque
Compartilhe esta notícia:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.