Empresas do grupo BJS trazem um misto de ônibus usados para “renovar” frota


As empresas do grupo BJS, que atua no ABC Paulista operando diversas linhas intermunicipais, estão trazendo um misto de ônibus usados para dar uma “renovada” na frota.

Alguns vem de empresas de fora, outros são repassados de empresas do mesmo grupo, e há até ônibus “montados” utilizando partes de pelo menos três ônibus diferentes, segundo comentários (!).

Entre as empresas do grupo estão a EAOSA, Ribeirão Pires, Riacho Grande, São Camilo e Imigrantes, por exemplo, que atuam no transporte intermunicipal, ligando as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Paulo e até mesmo o distrito de Paranapiacaba, famoso destino turístico da Grande São Paulo.

Entre os veículos, por exemplo, há ônibus vindos do Rio de Janeiro, como este, um Marcopolo Torino versão 2007, que originalmente tinha ar condicionado, mas que teve o equipamento retirado ao chegar aqui em São Paulo, e este, um Mascarello Gran Midi modelo 2011, que também operava lá em terras cariocas.

Há até veículos com motor traseiro e piso baixo, como este Mascarello Gran Via 2011 Low Entry, que veio da extinta Oak Tree, que opera a linhas da SPTrans na zona Oeste, onde hoje opera a Transppass.

Recentemente, a página “Busologia SP” divulgou que a Imigrantes está trazendo ônibus do tipo rodoviário para operar nas linhas seletivas, de forma emergencial. Comentamos isso no nosso “Resumo Semanal #03”, que pode ser assistido clicando/tocando aqui.

A aquisição ou repasse de ônibus usados não é algo incomum no mundo do transporte rodoviário. No segundo vídeo aqui do canal, por exemplo, mostramos alguns ônibus que também rodavam no Rio de Janeiro e que foram adquiridos pela JTP Transportes, empresa que ganhou a licitação de transporte municipal na cidade, e hoje operam nela.

Ainda nesta região, a Viação Pirajuçara e a Viação Miracatiba ficaram com os ônibus que operavam na também extinta Veneza Transportes, que operava todas as linhas do Metrô Campo Limpo, sendo que alguns deles ainda rodaram um tempo pelo transporte municipal de Embu, em um novo repasse, pela Transartes, antiga operadora dos ônibus na cidade.

Quando as empresas são do mesmo grupo, é comum que uma repasse ônibus para a outra, como acontece nas empresas do grupo Bancaf, da qual fazem parte às viações Atual e Ouro Verde, por exemplo, e nas empresas do grupo Comporte, da qual fazem parte a Pássaro Marron e a Litorânea, por exemplo também. Mas é lá no ABC Paulista que vemos isso com mais frequência mesmo (pelo menos aqui na Grande São Paulo), uma vez que não costumamos ver ônibus ônibus 0km sendo trazidos pelas empresas do Grupo BJS.

Compartilhe esta notícia: